Maquiagem: compartilhar ou não?

Foto: Allure.com
Foto: Allure.com

Vamos combinar:  é tentador testar a maquiagem das amigas, especialmente quando se trata daquele produto incrível que ela acabou de trazer do exterior. Sem contar que essa é uma ótima forma de se certificar de que o produto vale ou não o investimento, mas você sabia que a sua saúde fica em risco toda vez que você faz isso? E agora, definitivamente, não é o melhor momento para correr riscos. Para você entender melhor o que pode acontecer ao compartilhar alguns itens do seu nécessaire, consultamos a Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC). Mas se você não consegue resistir à tentação, aí vão algumas dicas:

√ Batom Ao ser passado de uma boca para a outra traz riscos de contaminação e doenças como herpes e candidíase, o conhecido ‘sapinho’. Se não tiver nenhum batom na bolsa e for essencial retocá-lo, passe um lenço de papel para retirar uma fina camada do produto e o aplique, tomando o cuidado de remover novamente a superfície do produto com lenço de papel.

√ Lápis No caso dos aplicados nos olhos há o risco de causar conjuntivite viral e terçol, além de irritações, coceira e ardor. Já o de boca favorece o surgimento de herpes ou candidíase. Por isso, ao usar um lápis que não é seu tome o cuidado de apontar para retirar a camada já usada e depois repita o processo.

√ Pinceis Manter a higiene do pincel é primordial, mas como não há limpeza adequada para um pincel além da lavagem e fica chato perguntar para a amiga se ela lavou o assessório, a melhor opção para evitar uma possível irritação na pele é carregar na bolsa uma esponja própria para maquiagem ou fazer a aplicação com o próprio dedo, que deve estar limpo.

√ Máscara para cílios Também não é possível fazer alguma limpeza no pincel e não há como improvisar. Então fique com a sua mesmo e, caso queira experimentar um lançamento do mercado, peça conselho às amigas e veja a opinião de quem já comprou.

 

P.S. Se mesmo com todos esses cuidados você notar vermelhidão, coceira ou inchaço na pele procure um médico.

Por: Laís Sass

Posts relacionados