Yogaterapia hormonal promete ajudar a engravidar. Entenda como funciona a técnica

Foto: Pexels

Você já ouviu falar na yogaterapia hormonal? Trata-se de um método que contém uma série de exercícios e outras técnicas para serem praticadas pelas mulheres que precisam equilibrar seus hormônios. Apesar de não ser novidade – foi criada em pela yogaterapeuta Dinah Rodrigues, em 1992 – não é um assunto amplamente divulgado. E só quem já tem algum interesse pelas práticas da yoga acaba conhecendo. Existe até um livro, escrito por Dinah, que é brasileira e formada em psicologia e filosofia pela Universidade de São Paulo. É o “Yogaterapia
Hormonal para Mulheres”, que faz sucesso lá fora, sendo traduzido para o inglês e o alemão.

Yogaterapia e a relação com a fertilidade

Mas, afinal, o que é a tal da yogaterapia e qual a sua relação com os hormônios e a fertilidade? Quem responde é a yogaterapeuta Camila Couto Rocha, mais conhecida como “Lalita”, de São Paulo: “A prática de yoga, em geral, confere benefícios para todos, independentemente da idade ou do gênero. Já a yogaterapia tem como objetivo corrigir algo e restabelecer o equilíbrio do corpo de forma natural. No caso deste método, o objetivo é estimular as glândulas endócrinas que são responsáveis pela produção hormonal feminina para que a gravidez seja otimizada”, explica. Na prática, ovários, glândulas suprarrenais, tiroide e hipófise ganham mais equilíbrio para produzir  estrogênio e progesterona, que entre outras funções, controlam a ovulação e preparam o útero para
uma possível gravidez.

Lalita conta que a yogaterapia hormonal é uma série única, com exercícios dinâmicos, que comprimem a região onde se localizam as glândulas que serão estimuladas. “Esses exercícios são acompanhados por uma técnica respiratória vigorosa, rítmica, que visa massagear internamente as mesmas glândulas. Esses dois aspectos atuam no nível físico e
fisiológico da mulher, fortalecendo músculos, ossos e criando condições para a regulação hormonal”, diz. A profissional também costuma associar uma técnica tibetana de circulação de energia e uma técnica chamada yoganidra, conhecida por nós, ocidentais, como relaxamento autógeno. “Essa técnica tem um efeito prático psicossomático, sendo utilizada algumas vezes entre os exercícios da série. Esses outros dois aspectos atuam no nível psíquico e energético da mulher, favorecendo o equilíbrio emocional e a estabilidade do organismo., otimizando as condições favoráveis à melhora da fertilidade feminina. Lalita conta também que a técnica costuma dar bons resultados especialmente quando o estresse está entre os principais fatores da infertilidade. a eficácia dos exercícios criados por Dinah Rodrigues já foram, inclusive, comprovados por uma pesquisa conduzida pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Foto: Lalita – Yogaterapia Hormonal

Todas as mulheres podem praticar a técnica?

A prática de Yogaterapia Hormonal para Mulheres (YTH) promete eliminar os sintomas da baixa hormonal ou, pelo menos, diminuir sua intensidade, além de reativar a produção hormonal feminina, elevando seu nível. No entanto, a técnica é contraindicada nos casos de câncer de útero, ovários, mamas e/ou sistema linfático (antes e depois da cirurgia), já que nesses casos a ativação dos hormônios femininos pode ser ainda mais prejudicial. Mulheres com miomas maiores que 4 centímetros, osteoporose avançada ou trombose, por exemplo, também não podem recorrer aos exercícios.

Aliada da medicina tradicional

Dois médicos assinam o prefácio do livro Yogaterapia Hormonal para Mulheres, escrito por Dinah Rodrigues. São eles: o professor Dr. Luciano Marcondes Nardozza, da UNIFESP e o professor associado do departamento de Obstetrícia e Ginecologia da FMUSP, Soubhi Kahhlale, que também é coordenador científico de
ginecologia e obstetrícia do Hospital São Luiz. Vale ressaltar ainda que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece, de forma integral e gratuita, diversas Práticas Integrativas e Complementares (PICS). E já há evidências científicas mostrando os benefícios do tratamento integrado entre a medicina convencional e as práticas integrativas e complementares. “Além disso, há crescente número de profissionais capacitados e habilitados e maior valorização dos conhecimentos tradicionais de onde se originam grande parte dessas práticas. A yogaterapia hormonal para mulheres é uma prática integrativa e complementar, que jamais propõe substituir a medicina convencional. Ela vem
para ajudar”, diz Lalita.

Foto: Lalita – Arte yoga

Como e onde fazer os exercícios?

Se você se interessou pelas técnicas da yogaterapia hormonal, o primeiro passo é procurar um instrutor de yoga especializado na técnica. Lalita fez o curso e aprendeu todos os macetes com a criadora do método, Dinah Rodrigues. ela afirma que o objetivo do método é dar às alunas autonomia para fazer a prática em casa, já que, após memorizada, a técnica leva, no máximo, 45 minutos para ser feita. E, de quebra, deixa aquela sensação instantânea de bem-estar, portanto, vai ser fácil incluí-la na rotina. “Elaborei um programa com 12 sessões, com duração de 1 hora cada sessão, podendo ser feitas uma ou duas vezes por semana. Nesse programa, a mulher aprende a sequência aos poucos, o que facilita a memorização. O que foi aprendido comigo deverá ser praticado em casa até a próxima sessão, onde daremos continuidade, incluindo os exercícios seguintes. O objetivo é na décima sessão fazermos a
sequência completa juntas, tirando as dúvidas e reforçando as técnicas até finalizarmos o método”, explica.

 

Posts relacionados