Ser mãe de três, em idades diferentes, é meu desafio de todo dia

Mãe de três. É assim que ultimamente ando conhecida pelos meios sociais em que frequento e que estou cada dia mais imersa para poder estar a mais atualizada possível na obra de educar e criar meus três filhos. Por estarem em idades e fases sociais diferentes, eles me fazem cada vez mais estar “antenada” a tudo que acontece no mundo, da primeira infância à juventude dessa geração.

Meu terceiro positivo me pegou de surpresa
Ao olhar pra trás, voltando em quando me tornei mãe a primeira vez, aos 23 anos, jamais poderia imaginar que eu seria mãe de três, ainda mais com tanto tempo de diferença de idade entre um e outro. O sonho dos três filhos caminhou comigo desde a infância, mas logo após eu ter tido meu segundo filho o tempo foi passando e já não tinha mais esperanças que um dia meu sonho se realizaria. Foi então que o meu terceiro teste de gravidez deu positivo, nove anos após o então caçulinha.

Como já não esperava um novo bebê também não tive a chance de me planejar ou de me preparar emocionalmente para cuidar dos três. Quando me dei conta já estava com um bebê e dois filhos mais velhos, que fizeram da minha vida uma caixa de surpresas, onde vivo um dia de cada vez, me moldando sobre as necessidades deles no decorrer dos dias.

Dar atenção a cada um, atendendo as necessidades individuas não é tarefa fácil, mas procuro levar com leveza
Logo de inicio tudo parecia que seria bem tranquilo e, apesar de ouvir pessoas ao meu redor dizerem que eu viveria três fases diferentes e que não seria nada fácil, confesso nunca ter dado ouvidos. Encarava os prós e contras da minha opção e sempre quis viver esse desafio da maternidade de corpo, alma e fazer apenas o que meu coração mandasse. Aliás, este é meu lema em relação à criação dos filhos.
O tempo passou e tanto as necessidades particularidades de cada um quanto minha própria demanda aumentaram muito, tornando tudo mais complicado. Por opção nunca tive ajuda de terceiros com os três, sendo que esse desafio me deixou cada vez mais envolvida ao mundo materno e, aos poucos, fui sabendo discernir exatamente as necessidades de cada um deles.

Mãe em tempo integral, com muito orgulho 

Hoje com quase 40 anos, vivencio minha maternidade em tempo integral, dividindo-me em três fases diferentes: adolescência, pré-adolescência e criança em plena fase do terrible two.
Se pararmos para pensar tenho três adolescentes em casa, porém de formas e idades diferentes, que estão em busca do novo, do autoconhecimento, de maneiras para expor seus sentimentos, de testar limites e de encarar a vida.
Nosso dia-dia precisa ser muito bem organizado, a rotina por aqui me ajuda muito, pois as agendas são enormes e confesso me perder várias vezes. Tento reservar alguns momentos isolados do nosso dia, dedicando-me a cada um deles para poder estar sempre atualizada sobre os assuntos corriqueiros de cada um.

Criei estratégias para dar conta de acompanhar a rotina de todos
Por estudarem em horários diferentes, meu almoço, por exemplo, é dividido em três etapas: salada, prato quente e sobremesa. E é só assim que consigo acompanhar de perto a rotina alimentar deles. Faço questão de acompanhar de perto as tarefas escolares e os assuntos ligados à escola, reservo parte da tarde para me dedicar a brincadeiras e estímulos do pequeno e quando ele dorme é hora de juntar a família e ouvir o que eles têm a nos dizer, discutir coisas do cotidiano, debater algum assunto interessante e, claro, dar os conselhos.
O malabarismo é 100% meu, me divido entre fraldas, vídeo games e pré-vestibular, todos juntos e misturados, descobrindo a vida com olhares diversos. Dou o braço a torcer hoje em dia, que fácil realmente não é, mas tento ser o mais próxima possível a eles, tentando entende-los e guia-los para que se tornem seres humanos responsáveis e de caráter.

Gostou desta história, acompanhe outras, como a da Flávia aqui!

Depoimento de Camilla Junqueira, mãe em tempo integral e autora do perfil @maedetrês3

Posts relacionados