Depois de congelar óvulos, fazer cirurgia, três inseminações e quatro fertilizações me tornei mãe

Foto: Divulgação

A gravidez aos 40 anos ou mais tem sido cada vez mais comum na vida da mulher moderna. E se para algumas ela acontece naturalmente (mesmo que depois de um tempão tentanto), para outras o sonho de ser mãe simplesmente parece cada vez mais distante, sendo necessário recorrer à reprodução assistida para tentar realiza-lo.

Foi o que aconteceu com a jornalista Janine Borba, apresentadora do Domingo Espetacular da Rede Record, que tentou durante 10 anos gerar um filho. Aos 39 anos, depois de algumas tentativas frustradas de engravidar, ela congelou os óvulos, porém sem sucesso. Depois fez vários tratamentos: passou por três inseminações artificiais, quatro tentativas de Fertilização In Vitro e até uma cirurgia para endometriose. Engravidou a primeira vez, mas perdeu o bebê. Na segunda gestação esperava por trigêmeos, mas um deles não resisitu. Os outros dois, Filippo e Antonella, chegaram ao mundo numa data mais que especial: um dia após o aniversario de 45 anos da jornalista. Era o presente que ela tanto precisava e que fechava com chave de ouro o ciclo de esperas e angústias, trazendo muito alegria à toda família.

O tempo de espera e os dramas e ônus da gravidez tardia são relatados de maneira bem intimista e emocionante em seu recém-lançado livro “Enquanto Esperei por Vocês” (Companhia Editora Nacional, R$ 34,90)

Foto: Divulgação

A apresentadora conversou com a gente sobre a maternidade e as esolhas e priorização da carreira. Veja só a nossa entrevista:

Mãe aos 40: Ser mãe sempre fez parte dos seus planos?
Janine: Sempre quis ser mãe, só não esperava que seria tão difícil.

Mãe aos 40: Qual foi o start que te impulsionou a realmente começar as tentativas para engravidar?
Janine: Quando fiz 35 anos, o tal relógio biológico gritou. Me dei conta que não era mais tão jovem assim, e portanto teria que correr. Já estava casada, com meu primeiro marido e então começamos a tentar. Depois de 1 ano percebi que algo estava errado e foi aí que decidimos procurar um especialista em reprodução assistida.

Mãe aos 40: Por que você levou tanto tempo para engravidar?
Janine: Aconteceu, não planejei deixar a gravidez pra depois. Me mudei para São Paulo aos 22 anos, terminei a faculdade e logo comecei a trabalhar. Quando parei pra realmente pensar no assunto, descobri que já estava na fase em que a fertilidade feminina começa a cair.
Mãe aos 40: Nesse tempo todo de espera quais foram suas maiores dificuldades?
Janine: Manter minha mente sob controle. No português claro, não deixar a peteca cair. A parte emocional é a mais difícil, o risco de você ficar angustiada é alto e isso é muito ruim para o tratamento. Durante todo o período contei com a ajuda da minha terapeuta e claro, do meu marido. Foi muito importante ter o apoio e a paciência dele, rs.

Mãe aos 40: Como você fez para driblar a ansiedade e o estresse que o tempo de espera causa?
Janine: Não sei se eu consegui driblar a ansiedade, acho inclusive que esse sentimento é inerente ao tratamento, infelizmente. Apesar do sofrimento, me sentia privilegiada em poder estar ali, tentando engravidar numa ótima clinica, com médicos experientes. Muitas mulheres não têm nem essa condição, porque o tratamento não é barato. Eu pensava, puxa vida tenho que ser feliz!!! Tô buscando o meu sonho e um dia ele vai se tornar realidade!!!

Mãe aos 40: Teve algo na sua rotina que a ajudou a aumentar a fertilidade?
Janine: Olha, acho que a acupuntura ajudou. Fiz várias sessões justamente durante a tentativa em que consegui engravidar. A acupuntura aumenta o fluxo sanguíneo da região abdominal, o que facilita a implantação do embrião.

Mãe aos 40: Você sentiu que sua cabeça e projetos mudaram durante a espera ou não?
Janine: Não sei se durante e espera, mas não tenho dúvidas de que hoje sou outra mulher. Me sinto mais madura, paciente e feliz. Aprendi a valorizar aquilo que realmente tem valor. Eu já sabia que a maternidade transformava as mulheres, mas não imaginava que fosse tanto assim. Me sinto uma pessoa muito melhor hoje.

Mãe aos 40: A sua gravidez foi tranquila ou teve intercorrências?
Janine: Não foi nada tranquila. Com vinte e duas semanas, quase perdi os bebês. O meu colo do útero abriu e tive que fazer uma cerclagem, uma costura para impedir que os bebês “escorregassem”. Por isso fiquei três meses em repouso absoluto, deitada na cama, com as pernas pra cima.

Mãe aos 40: O que você diria para as mulheres que passaram dos 35, 36 anos e desejam ter filhos mais tarde?
Janine: Se esse é o desejo, é melhor se prevenir. Congelar os óvulos é uma boa ideia.

Mãe aos 40: A partir do momento em que seus filhos nasceram você sentiu nascer também uma nova mulher? Pode contar como foi esse processo?
Janine: A maternidade nunca é simples, por mais que tudo saia perfeito. Dúvidas surgem, inseguranças aparecem. Você deixa de ser única, sua vida não te pertence mais, pelo menos a minha, rs.
Meus filhos são uma extensão de mim, não penso mais na Janine mulher, mas na Janine mulher e mãe da Antonella e do Filippo.

Mãe aos 40: E em relação à carreira, mudou alguma coisa? Como é seu dia a dia para dar conta de tantos afazeres?
Janine: Mulher é um bicho danado, rs. Parece que quanto mais você faz, mas arruma tempo. Sou mãe, tenho a minha carreira, sou esposa e dona de casa. Claro que tenho ajuda, mas mesmo assim vou ao supermercado, feira, açougue, lavanderia, levo e busco as crianças na escola e ainda arrumo tempo pra me cuidar. Nada diferente da maioria das mulheres!!!

Posts relacionados