“Entre dois filhos, a gente tem pressa e perde o tempo de contemplação”

João, filho da apresentadora Mariana Ferrão. Foto: Instagram
João, filho da apresentadora Mariana Ferrão. Foto: Instagram

Ah, as dores a as delícias da maternidade! Agora que estou grávida começo a enxergar o que me espera. Mas ler e ouvir relatos sinceros me conforta. Me dá a sensação que a maternidade não é um mundo cor de rosa, mas ele é multi colorido! Sempre quis ter dois filhos, mas confesso que muitos comentários são totalmente desencorajadores. Por isso, gostei muito desse relato feito pela apresentadora Mariana Ferrão sobre o primeiro mês de vida do seu segundo filho,  João. Desde que passei a acompanhar o Instagram dela, sou fã da forma como traduz a maternidade. Aqui, o depoimento na íntegra:

“Um mês.
Não parece. Passou rápido. Tão rápido quanto nosso parto. Tão rápido e tão intenso que dá a sensação que ficou faltando tempo pra aproveitar cada segundo, cada gesto, cada olhar, cada pedacinho seu.
Entre dois filhos, a gente tem pressa. Pressa pra atender o chamado de um enquanto o outro dorme. Pressa pra não deixar ninguém sem atenção. Pressa pra conseguir ir ao banheiro, comer e tomar banho entre uma mamada e uma brincadeira de carrinhos.
Senti falta do tempo de contemplação que tinha com seu irmão.
Sinto falta de acompanhar cada troca de fraldas… Já perdi as contas de quantas vezes, logo depois da mamada, te entreguei pra vovó pra socorrer teu irmão, pra conter as birras, pra levá-lo pro banho, pra escovar os dentes e colocá-lo pra dormir, lendo intermináveis histórias… Você? Você não parece ter pressa pra nada. Talvez tenha sido por isso que nasceu de quase 41 semanas… Tudo a seu tempo – é o que você parece me dizer a todo instante, com seus olhos que absorvem o mundo piscando pouco, atentos a tudo.
Na sua espreguiçada esguia de gato quando sai da toca, você emite sons graves de quem sabe o que está fazendo.
Hoje você aproveitou uma folga e adormeceu no meu colo ao barulhinho da chuva. Caindo no sono veio aquele sorriso, que mesmo ainda sendo involuntário, já me derrete de amor…
Hoje sou outra mãe e fico tentando desvendar que filho é este.
Você adora um colo, mama devagar, aproveita o peito pra tirar looongas sonecas. Você é calmo e forte. E esta sensação de estar há um mês alimentando alguém é tão deliciosa quanto cansativa!
Segundo filho não tem direito ao silêncio.
Já perdi as contas de por quantos colos passou… E eu neste exercício diário de delegar… Ainda bem que no segundo a gente tem a sensação (e a certeza, por que não?) de que vai dar certo mesmo se não ficarmos 24 horas por dia em cima da cria.
Repito hoje o que disse há 1 mês, obrigada, filho! Obrigada por me fazer melhor em tão pouco tempo.”

Posts relacionados