Adolescência infantil: o terrible twos

Blond Boy Crying

Nosso bebê acabou de completar 2 anos e sempre achamos ele um verdadeiro doce. Mas de 3 meses para cá as coisas mudaram um pouco: muito choro fora de hora, birra em lugar errado, do nada um tapa… Na verdade esse fenômeno, mais conhecido com Terrible Twos (do inglês, os terríveis 2 anos) é super normal e necessário para o desenvolvimento do pequeno. Essa rebeldia, muito parecida com a adolescência, acontece depois que o bebê se dá conta que é um indivíduo com desejos e opiniões, o que faz com que ele comece a tomar decisões. Lógico que para o bebê também não é fácil, pois ao mesmo tempo que ele busca sua identidade, ele também não quer desagradar os pais.
Calma que passa!
A experiência dos 2 anos é muito intensa emocionalmente e com bastantes conflitos, mas vale dizer também que as ações não são conscientes. Por isso, não pense que o seu filho é mal-educado e que será um desafio pelo resto da vida. Assim como nós, adultos, as crianças ficam com raiva, tristes, frustradas, chateadas. E nada melhor que aprender a lidar com esses sentimentos inevitáveis enquanto criança. Se você quer ajudar no crescimento emocional do seu bebê o melhor a fazer é não poupá-lo de suas frustações, explicando que esses sentimentos fazem parte da vida e que acontecerão muitas vezes. Faz parte do pacote!
Como eu lido com essa rebeldia?
Até alguns dias atrás o Lorenzo fazia tudo como solicitávamos, mas as coisas mudaram. Dia desses cismou em colocar um tênis que já está pequeno no pé dele para ir à escola. Foi uma luta para o pai dele conseguir trocar o calçado pelo que servia. E o chororô sem fim na hora de dormir, colocar a fralda e a roupa, entrar e sair do banho e recolher os brinquedos que espalha pela casa? É realmente desgastante! Mas o que me deixa feliz é que essa fase vai de 1 ano e meio até os três anos, mais ou menos, então posso dizer que tenho somente mais 1 ano pela frente, sendo bem otimista!

Infelizmente não existe muito o que fazer e o melhor é esperar passar. Aqui em casa o que faço é abaixar até o Lorenzo e olhar dentro dos olhos dele, com voz firme demostrando minha insatisfação. Também já é possível criar o cantinho do pensamento para coloca-lo para pensar cada vez que o comportamento for inaceitável. Agora, é claro que isso não é uma regra. Tem dado certo para mim, mas pode não dar para outros pais. Depende muito das caraterísticas da criança. É um verdadeiro teste de limites o tempo todo. E o pico desse estresse é quando o Lorenzo resolve fazer birra e espernear em lugar público. Sai correndo sem rumo por onde vamos e se tentamos contê-lo, já viu né? A minha técnica quando estou quase perdendo as estribeiras é mudar o foco e mostrar outras coisas a ele. Tem funcionado. E claro que a maturidade tem feito de mim uma pessoa mais paciente para passar por essa frase da melhor forma possível… Sorte do Lorenzo!
Se você está passando por isso também, bem-vinda ao clube. E calma porque uma hora passa!

 

Este post foi escrito por Cristiane Presotto, que é pedagoga, blogueira do maemadura.com.br e mãe de 3 filhos. Todo mês ela vai dividir com a gente as experiências e desafios da maternidade. Acompanhe!

Posts relacionados